quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Oldies But Goodies

Em meados de 1998 eu conheci o arquiteto Lauro Pinotti em uma aula preparatória de vestibular, para prova prática de arquitetura. Naquela época eu estava desenhando compulsivamente e bastante focado em quadrinhos de heróis. Claro que minhas pretensões eram limitadas, mas eu tenho um certo carinho por esse período por que acho que foi um dos últimos momentos da minha vida em que eu "filosofava" ilustração. A paixão sobrepunha a profissão e muito do que eu fazia eu colocava extremo sentimento e experimentação.

Lauro era extremamente profissional no que fazia, adorava ilustração e era uma pessoa bastante interessada em novas mídias. Foi com ele que eu tive acesso pela primeira vez com HTML e construção de web-sites. Ele tinha um livro que adaptou o roteiro para cinema e veio me mostrar. A idéia era transformar em HQ impressa, oq posteriormente evoluiu para uma HQ online.

Uns 2 anos depois eu já tinha perdido o contato com esse projeto, mas resolvi construir uns exemplos de expressão corporal e facial - num estilo meio "sketchbook" - dos personagens que eu criei para esse roteiro, para ver se eu ainda lembrava deles. Todos estavam mais "evoluídos" no meu traço e achei empolgante eu ainda dar mais personalidade do q as ilustrações originais. Segue abaixo uma montagem desses desenhos (lápis, pincel e nankim):

Photobucket

Os projetos acabaram não vingando, mas muito mais de minha parte. Algumas edições o lay-out ficou ok e na online rolaram poucas artes. tentei retomar contato com o Lauro depois de uns anos, mas sempre surge algo que atrapalha ou impede. Curiosamente, meu trabalho de conclusão de curso foi uma releitura das histórias em quadrinhos para web. Acho que essa história do Lauro seria uma ótima proposta para publicação. Quem sabe quando eu encarar tocar de novo meu projeto e abstrair o trabalho que dá isso...

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

The Kid

Essa ilustração foi uma das primeiras que fiz quando entrei para o Estúdio Tris. Eu estava praticando um pouco de desenho, traços, referência...
A foto original é bem pequena (aprox. 5cm x 7cm), então deu um certo trabalho para reproduzi-la em um A4, sem contar que eu estava definindo ainda o estilo da arte.
Eu acabei deixando de lado o esboço quando acabei e alguns dias atrás eu decidi retomar. Quero aproveitar que as coisas andam calmas por aqui e fazer algo diferente com esse desenho todo: quero em um mesmo desenho treinar lay-out e arte-final.
Segue abaixo primeiro a versão Lay-out... em tons vermelhos, com sombras e tudo mais.

The Kid Lay Out

Assim que terminar a versão "arte-final" eu publico aqui.


Mudando um pouco de assunto... vocês conhecem o game "Spore"?
É praticamente uma aula prática de concept art, exceto pelo detalhe que a EA fica com todos os direitos sobre as criações.

Tô pensando em quando terminar um planeta eu publicar a versão "desenhada" da minha criatura aqui. :))

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Tira Big & Bill: passo a passo - da idéia à publicação

Desde 2003 as tiras de humor "Big & Bill" são publicadas no Jornal de Piracicaba. A autoria delas é dividida com o desenhista, tatuador e amigo de longa data Bill Scarpitti. O nome dos personagens veio de apelidos que possuimos entre nosso círculo de amizade, além de algumas caracteristicas físicas para a criação. Vou deixar para contar a história toda em outra oportunidade. Hoje quero mostrar um pouco de como funciona o processo de criação da tirinha, desde a idéia até a arte concluída e publicada no Jornal.
Eu e Bill costumamos dividir algumas tarefas, mas essa foi um tira integralmente produzida somente por mim. Então, tomei a liberdade de mostrar o meu passo a passo (que não significa exatamente o passo a passo "oficial" da produção).

1. A idéia:

Sim, ela vem do nada, em qualquer lugar e por qualquer motivo. Vez ou outra preciso de uma inspiração, como ler algum artigo de humor, ver algum filme ou lembrar de alguma tira antiga que possa ser tomada como base de idéia. Ou simplismente vem como essa, onde eu sento, abaixo a cabeça, olho pro papel e deixo a mente borbulhar.


Esse papel acima é basicamente o rascunho principal. Muitas vezes eu tenho uma idéia pro primeiro quadro, deixo o segundo apenas guiar e faço o desfecho no terceiro. Como podem ver, a cena não mudou nada, mas houveram inúmeros rabiscos até achar uma frase que fechasse melhor a história. Algumas vezes isso acontece simplismente por economia de espaço.

2. O desenho:

Lapiseira, régua e (extinta) caneta Futura (sim, ainda temos um estoque aqui no estúdio). Já está suficiente

Tira 260 (PB)

Nessas tiras e outras mais recentes eu tenho feito o esboço a parte e então finalizado em mesa de luz. Eu então digitalizo para o photoshop e monte numa "moldura" pronta que tenho salva no software. Isso poupa algum tempo, o que é interessante em tiras semanais ou diárias.

3. As cores:

Nessa tira eu ainda fazia as cores no mouse, usando os pincéis do photoshop. Desde o fim de 2008 eu já possuo uma tablet/mesa digitalizadora que é muito mais profissional e prática.

Tira 260 (cores)

Não tem muito segredo. Pinto sem pretensões, usando o mínimo de referência de luz, sombra e cores que possuo. O importante é seguir o mesmo estilo de pincel em todas (Wet Media) e a palheta de cores dos dois.

4. Os textos:

Pode parecer simples, mas essa parte é onde eu costumo tomar muito cuidado para não comprometer todo o trabalho. Não adianta nada se uma tira for excelente e o cara não conseguir entender as letras pequenas ou acompanhar algum erro crasso de português. Sem contar que essa é última etapa. Faço no Illustrator e aí exporto para o Photoshop. "Simples" assim. O resultado final é esse abaixo:

Tira Big & Bill (nº 260)

Muito bem. Mais alguma dúvida?
Se precisarem de mim, estarei na prancheta fazendo a desta semana... :)

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Teste de Layout - Briefing: Praia

Esse post é sobre o último layout que eu produzi, mas o primeiro com o objetivo de treinar estilos e cores.
Uma das coisas essenciais de um lay-out é você poder resolver o briefing em poucas horas. Por esse motivo, é extremamente importante que você esteja familiarizado com as ferramentas do computador que irá utilizar, com o estilo de traço que irá seguir e principalmente com a composição.
Andrew Loomis em seu livro "Creative Illustration" apresenta várias formas de composição: baseada em linhas, letras e símbolos, formas geométricas além de outros princípios. O "esqueleto" primário desta composição deveria ser um "A" de ponta cabeça, onde o corte seria a linha do horizonte.
Para essa ilustração, Flávio Mota - outro ilustrador do Estúdio Tris - me ajudou com alguns toques. A maior dificuldade foi achar alguma lógica em todos os elementos dos personagens. Eles estão na praia, mas não necessariamente "estão" na praia, se é que me entendem.
Anteriormente eu dei uma palhinha da arte no estágio final, onde as pessoas já estariam prontas restando apenas o cenário de fundo. A arte abaixo é de como ficou o layout finalizado:

Teste de Layout - Briefing praia

O cenário como foto-montagem serviu apenas de referência para a composição. Como o desenho dele ia ser feito a parte (assim como todos os outros elementos), preferi cuidar pelo menos da perspectiva e deixar os elementos complementares (montanha, coqueiros) para resolver no "olhômetro".
De embalo, tentei também resolver os tons e cores do fundo, mexendo no Photoshop mesmo. E se você comparar com o primeiro post, as cores dos rapazes da esquerda tiveram que ser refeitas, também para se adequar melhor ao fundo.
A ilustração foi feita a lápis, digitalizada, e colorida no PS CS3. Separei um detalhe abaixo para ter uma melhor visão dos traços e do estilo de pintura. Vale reforçar que a cor do casal e da moto foi feita no mouse e a do fundo na minha nova tablet.

Detalhe de Layout

Como "treino" foi considerável. Infelizmente o resultado não saiu exatamente como desejei. não cheguei no estilo que estava afim de obter e ainda preciso achar um acabamento um pouco melhor para esse "rough". Mas eu fiz em partes, de pouco em pouco, durante praticamente um mês. Acho que se fosse fazer direto, demoraria uns 2 dias, o que é inaceitável para um layout. Mas como prática... sim, é válido, já que nesse tempo todo eu tive que fazer uma bela busca de referência, fui fazendo testes e experimentando estilos e técnicas.
Se eu fosse repetir essa arte igualzinha agora, acho que em uma tarde ficaria pronto.

Próxima atualização deste blog: "Big & Bill" e um básico passo-a-passo. Até lá.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Ilustração vetorial: Passo-a-passo - Heather

A vantagem de possuir uma habilidade de desenhar "na mão" é bem relevante quando você vai para um software no computador. Ao menos pra mim, a impressão que dá é que as coisas se resolvem com mais facilidade.
Seja usando o mouse ou uma tablet, a primeira coisa que penso quando uso uma ferramenta do Adobe Illustrator (meu programa preferido de ilustração vetorial) é: "Como eu faria se fosse no papel?". Particularmente, quando comecei a resolver as ilustrações digitais dessa forma, consegui transmitir muito do meu estilo "analógico" pra dentro do computador e isso pra mim foi o máximo.
Eu não sou fã de fazer um passo-a-passo ou tutorial, muito mais pela mão de obra que dá. Mas como esse deu um certo trabalho e eu estava separando as imagens iniciais, resolvi publicar aqui as etapas da minha última arte vetorial.
Raramente eu faço isso com ilustrações no computador, mas pra essa eu tive uma espécie de "visão" e eu considero nesse caso um "lay-out" uma Etapa Zero. É onde tudo começa... da cabeça pro papel:

Lay-out (esboço da idéia inicial):
Ilustração vetorial: etapa zero (esboço da idéia)
Nesse caso eu imaginei uma cena bem erótica, mas nada com nudez explícita, onde a cena ia ser composta por arranjos florais e outros objetos abstratos.

Meu primeiro passo a partir daí foi transformar isso numa arte digital. Busquei no meu banco de imagens uma cena que se parecesse com essa e achei uma praticamente igual, a não ser pelo fato de que a mulher ia estar completamente exposta. A modelo chama-se Heather e resolvi usar a cena do jeito que está na Primeira etapa:

Etapa um - vetores e delineações:
Ilustração vetorial: Primeira Etapa
A referência é a imagem número 1. A maior dificuldade quando se trabalha dessa forma é ir descobrindo o que você delineia e o que realmente você quer desenhar. É só notar a variação das formas do corpo da modelo na imagem 2 para a imagem 3. As formas foram adaptadas do original para dar um corpo mais "sexy" e ousado. Na imagem 4 eu tive que usar um pouco a "imaginação": na foto original, os pés eram cortados. Eu precisei esboçar no Illustrator mesmo um pé sem nenhuma referência. É trabalhoso, principalmente pelo fato de eu só ter usado MOUSE em toda a digitalização(ainda não trabalhava com Tablet), mas o resultado final me agradou.

A partir da ilustração da modelo concluída, o passo seguinte seria elaborar um fundo/composição para a arte. Eu tenho um banco de imagens e fontes vetoriais que era perfeito para ser usado:

Etapa dois - Composições:
Ilustração vetorial: segunda etapa
Pode parecer fácil, mas a grande dificuldade de você usar shapes soltos é que eu precisava criar uma espécie de "massa" de imagens sem que ficasse exagerado demais ou destoasse da ilustração. Outro fator que dificultou foi que eu resolvi não fazer a manta de seda da foto original e eu queria preencher esse "buraco". Foram horas e montagens e acabei chegando numa composição bem razoável. Não ficou exatamente como eu queria, mas aí era cargo do cenário de fundo.

Busquei uma imagem para compôr o cenário de fundo. Caso não achasse, ia ter que acabar fazendo por conta mesmo, o que levaria mais tempo ainda e muito mais saco do que eu já tenho. É aí que vamos para a...

Etapa três e quatro - cenário de fundo:
Ilustração vetorial: terceira etapa
Antes de completar com o background oficial, eu joguei uma camada de degradê radial para dar o efeito que queria quando mesclasse o fundo original.

Ilustração vetorial: quarta etapa
A imagem (figura 9 e 10) foi baixada do site Stock.xchng. Uma ótima sugestão para quem quiser procurar imagens com royalty-free. Era perfeita para ajudar na cena. Só precisei revertê-la horizontalmente e deixar em tons de cinza para casar com as cores que eu estava utilizando.

Finalização:

Eu adoro trabalhar com camadas. Para fechar a arte eu usei o Adobe Photoshop. Como toda a arte no Illustrator estava separadinha e organizada em camadas, passar para o PS e editar foi muito prático.
Lá eu só mesclei e configurei a layer do cenário abstrato para que o fundo ficasse leve. Gerei mais alguns filtros nos traços e o resultado final ficou assim:

Ilustração vetorial: finalização

Eu comecei essa ilustração no começo de Dezembro e fui fazendo aos poucos. Hoje foi a conclusão. Tem mais umas 3 versões da arte e provavelmente eu ainda dê outras caras para ela. Essa é uma das maravilhas de se trabalhar no computador. :)

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

O excêntrico mundo de John K

De sobrenome mais estranho que suas criações, John Kricfalusi, a.k.a John K, é um animador canadense pai da dupla Ren & Stimpy, animação famosa pelo seu humor subversivo, nonsense e violento. Motivos esses que resultaram na demissão de John K da Nickelodeon no começo dos anos 90.
A influência de John K ainda perdura. Até Bob Esponja bebe um pouco dessa fonte. Mas seus trabalhos posteriores estão longe do mainstream.
Dos que eu destaco são "The George Liquor Program" (1997), a primeira série de animação produzida em flash para a internet e "The Ripping Friends" (2001), produzida originalmente para a FOX, mas que também teve sua única série na programação do Adult Swim, do Cartoon Network.
O desenho abaixo eu fiz como uma espécie de tributo pessoal e para treino de um estilo que eu pretendo lentamente migrar e criar algumas coisas sob influência visual.

John K tribute

A ilustração não tem muita pretensão. O lápis é de John K de uma cena do episódio "Cans Without Label" do George Liquor. O personagem em questão é Earnie. A arte final eu fiz no Adobe Illustrator, usando tablet e mouse e seguindo meu estilo. As cores não são as oficiais do Earnie. Foram sugeridas e coloridas por mim também no Adobe Illustrator e o fundo foi de criação minha, inspirado nos desenhos animados que assistia (referência de cabeça mesmo... rs).

Como sugestão por tabela, sugiro que dêem uma olhada no emprego das cores e estilo retrô de Shane Glines (responsável por muitas artes finais de John K).

Como palhinha, separo um episódio (em inglês) de "The Ripping Friends". Observe o detalhe da arte, do movimento e expressão dos personagens. John K dá uma bela de uma aula de animação de impecável qualidade em poucos minutos.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Que venha 2009

Não quero usar a mesma ladainha de todos, dizendo que esse ano promete ou descendo aquela lista de resoluções para 2009. Mas no que se diz respeito a ilustração e novidades, esse foi o ano escolhido por mim para se dedicar a isso. Motivo esse que me fez criar o Blog no final de Dezembro, mas só publicar algo agora.

Começo com algo básico, mas apenas para mostrar minhas intenções aqui e ir "educando" quem se interessar pela página. Esse é um lay-out "fantasma", que foi criado para fazer experimentos e testes de estilo. Esse tipo de ilustração deve ser feito rápido, com traços simples e usando cores ou não, onde o objetivo é apresentar visualmente ao cliente determinada idéia. O fundo é uma foto-montagem. Como o processo ainda está em andamento, eu costumo fazer isso para ver se a referência vai ficar legal. Se rolar (como nesse caso), vou para a prancheta e faço a mão, incluindo outros itens no cenário. Nesse caso, talvez role um calçadão e coqueiros, além de mais montanhas ao fundo e a sombra de todos os que restam. Chequem a imagem abaixo:

Layout_praia

Como a grande maioria dos blogs, esse foi criado para material exclusivamente meu: pessoal e profissional. Erros e acertos. Novidades e velharia.

Inicialmente, pretendo expôr meus trabalhos, minhas criações, falar um pouco sobre ilustração e outras áreas de meu interesse.

Mas a última coisa que quero fazer é falar que bolo comi ontem e a última da vizinha. Se você se interessa por quadrinhos, ilustração, design, criatividade, humor, boa música e filmes, assim como 2009, você é muito bem-vindo.

Grande abraço para meus incentivadores pais e irmãos, meus amigos que curtem minhas artimanhas, minha baixinha e para a equipe do Estúdio Tris.

Visitem meu portfolio e de outros talentosos ilustradores no website do Estúdio Tris