quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Reinventando

Há alguns bons anos atrás eu fiz uma ilustração no software Illustrator baseado numa imagem da atriz Mena Suvari. Trabalhei um pouco mais na finalização e o resultado foi essa imagem abaixo.


Caçando e analisando-o depois, percebi que seria bem interessante se eu desse uma "atualizada" nessa arte, usando como base a original. Trata-se de um trabalho autoral numa versão mais "updated & upgraded". Eis o processo:


Eu aproveitei a "carcaça" do vetor original e refiz os brushes, para dar uma aparência mais solta e desenhada. Daí pra frente foi só novidade, então criei mascaras e fui fazer a pós produção e finalização no Photoshop, onde comecei a trabalhar degradês, retículas e outros efeitos que tinha planejado.



O fundo eu criei também em vetor no Illustrator. Foram vários shapes paralelos, de diversas cores, onde depois apenas rotacionei para ficar em diagonal na composição.

O mais interessante era poder ter no final dois trabalhos em um (meio parecido com a proposta do primeiro).

Nesse caso, as únicas cores pre definidas mesmo eram dessas paralelas... precisava então a partir de agora continuar com a ilustração do rosto mas de uma forma não muito convencional, que seria adequar o equilíbrio de cores com base nessas previamente criadas com os retângulos.


Usei alguns elementos orgânicos para a arte em geral e tava meio complicado de equilibrá-los todos no começo. O conceito que usei foi misturar elementos na ilustração da pop art e no resto da composição do construtivismo russo, meus dois movimentos prediletos e mais inspiradores. E tentar juntá-los todos - mesmo sem pretensão - para ter um resultado estético que não fosse uma bagunça só tava ficando meio chato
Mas enfim, depois de eu trabalhar as sombras e volumes do rosto e fazer primeiras aplicações com a textura base do fundo, eu reuni todas as peças e finalizei minha mais nova e atual versão da ilustração:



Eu acabei preferindo esse novo, porque eu realmente me dediquei mais nesse que o anterior e por estar um pouco mais atualizado, com referências mais concretas.
Mas, ganhei 2 artes por uma só. :)

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Livros Compartilham Sonhos

Na postagem de hoje, publico um desenho autoral que fiz para o material desse ano. Eu tenho me aventurado - e adorado - produzir um material usando elementos orgânicos no meio digital. Aliás, essa sempre é minha intenção ao usar ferramentas de softwares.

Essa arte surgiu de um layout não aprovado, mas que eu havia guardado pois gostei da ideia e sabia que ia acabar usando em outra oportunidade. esta surgiu quando continuei a criar ilustrações para fazerem conteúdo para o website do estúdio

Como todo trabalho, eu sempre começo ou em algum momento traço a estrutura do desenho a lápis. Nesse caso, a estrutura teve 2 etapas: uma a lápis, na concepção e outra digitalmente, no redesenho das formas, para dar mais geometria para o desenho.


Já que o tema era sobre literatura, eu desde o início sabia que precisaria explorar ao máximo o potencial de texturas de papel ou recortes. Foi praticamente um trabalho artesanal no meio digital, pois eu fiz recorte no software de peça por peça para gerar esse resultado artístico.


Levei alguns dias, algumas tentativas e erros, mas o final foi essa arte bem lúdica e orgânica. Utilizei técnica mista para esse trabalho, com softwares vetoriais e bitmaps. E a experiência valeu para me estimular a arriscar em outros similares...



Bom, como é um trabalho autoral,. aceito críticas e sugestões. Fiquem a vontade para comentar, quando quiser.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Gramática Delicada

Na verdade essa ilustração é uma continuação. Foram duas artes para ilustrar um texto institucional sobre conjunções adversativas. A primeira remetia à bagunça que as pessoas causavam, então fiz uma arte bem solta, traços relativamente pesados, um tanto despretensiosa.
Nessa outra parte, por se tratar de colocar "os pingos nos is", achei que ia caber algo mais fino, um toque de formalidade, acabamento delicado.
Desde o início pensei: bom, dessa vez, pela organização, preciso colocar uma mulher na história. No layout, apenas para sugerir a ideia da cena, deixei bem claro que ia ter uma moça alí. A base, claro, foi a arta a lápis da garota em questão.

Durante o desenvolvimento, resolvi levar mais a sério: por que não fazer uma arte mais feminina? Confesso que as vezes gosto de me arriscar por esses lados, pois flerto muito com a leveza de alguns trabalhos de mulheres ilustradoras. Mas ironias a parte, esse foi inspirado um pouco no trabalho do Shag, que é bem homem (até onde eu sei).



O resultado lembrou um pouco o de um trabalho autoral que eu em breve publicarei aqui, mas que simula digitalmente colagem e recortes. É um estilo que aos poucos eu estou desenvolvendo e pretendo ver até onde eu preciso ir para chegar no que eu vou considerar "trabalho matriz", para então usá-lo como base definitiva de técnica para os posteriores. 







Voltaremos após os comerciais.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

A Evolução do Homem

Essa semana o novo site do Estúdio Tris está no ar e acabei aproveitando para atualizar meu conteúdo por aí. Postei novas artes no Behance e de embalo fui convidado para experimentar o ProSite. Já que eles estão com trabalhos frescos lá, tava mais do que na hora de fazer as vezes daqui.

Esse trabalho que publico hoje é autoral, feito para uma extinta seção no site, mas que vale como um humor criativo e para o portfolio. Também está no Behance, mas aqui falo um pouco mais sobre ele e em português, claro.


A ideia para essa ilustração foi fazer uma paródia com a famigerada ilustração "Marcha do Progresso" de Rudolph Zallinger, que faz referência a teoria da evolução de Charles Darwin. A "piada" aí foi não só fazer o "homem de hoje" estressado e ao celular, carregando uma maleta, mas apontar essa disparidade do homem moderno usando uma arte mais caricata, menos formal. É algo como se o homem evoluísse para a caricatura, falando num grosso modo.


Para o desenho da Marcha, eu usei a referência de Zallinger, mas acabei redesenhando-a toda. Então, se você acha que isso é uma foto-montagem, pode esquecer. Deu um certo trabalho, mas achei bem melhor do que simplesmente pegar a imagem dele e editar figura por figura no photoshop. E também, não tinha por que me dar ao trabalho de "micreragem" se eu sei desenhar. :)


Ok, ok. Já fizeram milhares de paródias. Não é uma original, mas é a minha paródia. Eu precisava ter a minha vez, certo?
Mas enfim, o trabalho está concluído e também pode ser visto no Portfolio virtual, na sessão "Caricaturas/Retratos", mas numa outra versão.
Até o próximo post.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

A Arte de Robert Fawcett




Robert Fawcett (1903-1967) é um ilustrador londrino formado na Slade School of London University. Fawcett é mais um dos ilustradores que alcançaram um perfeccionismo em seus trabalhos mantendo uma disciplina rigorosa em seus estudos. A Slade School era famosa pela abordagem severa e implacável, que rapidamente eliminava os ilustradores mais fracos e preguiçosos. Uma das lições de Fawcett era desenhar figuras humanas usando apenas o 4H, sem borrachas e gravar proporção e perspectiva a olho nu.
Em1924 ele mudou-se para os Estados Unidos, onde começou sua carreira de ilustrador publicitário e editorial e conseguindo destaques em ambos mercados, principalmente pela sua variedade de técnicas e estilos (apesar de nunca ter tido aula de pintura).
Fawcett está entre os grandes ilustradores do mundo, sendo sempre reconhecido e extremamente requisitado, principalmente nas décadas de 1940 e 50. Fawcett morreu sendo considerado o "ilustrador dos ilustradores".













Livros Lançados: "On The Art of Drawing" e recentemente, "Robert Fawcett: The Illustrator's Illustrator".

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Mais Institucionais

Mês novo, postagem também.

Esse foi um trabalho institucional que foi relativamente "simples", mas bem interessante produzir. O briefing pedia uma certa "didática" nas ilustrações e sugeria que eu seguisse um determinado estilo o qual já havia trabalhado em outra oportunidade. Aliás, o cliente se identificar com um estilo seu para a produção de determinada peça é sempre algo muito bem-vindo na minha opinião.

Como já conhecia o estilo, enviei os layouts apenas como sugestão de ideias para aprovação, o que otimizou muito o tempo do trabalho (já que seriam mais de 10 peças em cerca de 10 dias).

Como a sugestão do trabalho indicado era bem tradicional, meu foco inicial era qual o tipo de material eu ia usar e quais recursos digitais eu aproveitaria, caso necessário.

Eu então fiz os esboços usando lápis 2B e finalizei com pincel fino, preto mesmo. Até aí, sem grilo algum.
Inicialmente eu pensei em finalizar usando ecoline ou outra tinta com acabamento de aquarela, mas como o acabamento da arte referencial era digital, resolvi partir pro software mesmo, mas buscando ao menos uma pós-produção mais trabalhada que o original.
Abaixo eu publiquei algumas das ilustrações aprovadas. Algo que também levei em consideração foi de que mesmo trabalhos que numa primeira vista pareçam bem básicos, sempre tem o potencial de ser mais aprendizado para você, independente de quantos recursos foram utilizados ou quanto tempo você levou para terminar.

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Ano novo, ilustrações passadas

Ano novo, tudo novo. Muita coisa mudando, inclusive o blog. Aprovetei os novos recursos do blogger e renovei o visual. Optei por usar meu nome de assinatura, pois descobri que há por aí solto outro Vitti que ilustra e não quero "confusões". Eu na verdade assinava como F. Vitti, mas parece formal e impessoal demais. Vamos ser "chegados". Hehehe

Também incluí ao lado novos links, alguns de amigos ilustradores, outros de artistas que admiro o trabalho, etc.
E sem mais enrolação, posto hoje uma ilustração pessoal que fiz em 2009, mas para portfolio de 2010.

Essa arte teve um início curioso, pois eu achei uma foto de uma modelo com roupas de época bem interessante e resolvi já durante o layout, fazê-la desfacelando, como cinza de cigarro.

Quando fui para a ilustração propriamente dita, a ideia inicial era talvez trabalhar somente em preto e branco, no máximo tons de cinza. Então todo o terreno foi preparado para isso, deixando a imagem em alto contraste, apenas com cores absolutas.



Para variar, achei que só o PB estaria muito vazio, então resolvi preecnher de duas formas, sendo uma em tons de cinza (fazendo ainda uma referência aos anos 1940) e uma com uma palheta de cores vintage. Saíram então esses dois resultados:


























Acabei pegando gosto pela versão colorida, mas resolvi então fazer o serviço completo, desde detalhar mais a pintura até criar um background "temático". O vinho estava destacando demais a roupa dela, então precisou ser rebaixado. O fundo verde não estava agradando mais, talvez um tom mais envelhecido para não perder a identidade. Usei alguns filtros e pinceis do Photoshop e aqui abaixo está o trabalho finalizado.


O que mais gostei nesse desenho, foi que resgatei alguns estilos de traço que costumava a trabalhar, mas usando softwares e recursos que não tinha tanto domínio até então. Criar essa ilustração foi muito mais uma "aula digital" do que qualquer outra coisa. Usei uma mídia de papel digitalizada, brushes vintages, pincéis digitais dos mais variados estilos (prontos ou criados), patterns e por aí vai.

Mas, como sempre, usando as ferramentas que o computador oferece ao meu favor e do jeito que quero. Conversei com alguns ilustradores conhecidos sobre isso há alguns dias e realmente acho que o grande lance de você trabalhar com softwares é você adequa-lo às suas características e domínio técnico tradicionais. Se vocês lerem meus post antigos verão que eu sempre prezo por isso. Acho uma besteira você deixar os filtros e pincéis digitais prontos dominarem seu estilo. Sempre deve adapta-los à você e nunca o inverso.

Como esse ano estou animado, penso em postar mais do que o "costume". Para isso vou depender apenas de tempo "ocioso", mas esse novo visual do blog dá uma estimulada a mais. :)

Ah, e antes que eu me esqueça. Um ótimo 2011 a todos que visitam aqui e prestigiam meu trabalho. Fiquem a vontade para trocarmos figurinhas.