segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Gramática Delicada

Na verdade essa ilustração é uma continuação. Foram duas artes para ilustrar um texto institucional sobre conjunções adversativas. A primeira remetia à bagunça que as pessoas causavam, então fiz uma arte bem solta, traços relativamente pesados, um tanto despretensiosa.
Nessa outra parte, por se tratar de colocar "os pingos nos is", achei que ia caber algo mais fino, um toque de formalidade, acabamento delicado.
Desde o início pensei: bom, dessa vez, pela organização, preciso colocar uma mulher na história. No layout, apenas para sugerir a ideia da cena, deixei bem claro que ia ter uma moça alí. A base, claro, foi a arta a lápis da garota em questão.

Durante o desenvolvimento, resolvi levar mais a sério: por que não fazer uma arte mais feminina? Confesso que as vezes gosto de me arriscar por esses lados, pois flerto muito com a leveza de alguns trabalhos de mulheres ilustradoras. Mas ironias a parte, esse foi inspirado um pouco no trabalho do Shag, que é bem homem (até onde eu sei).



O resultado lembrou um pouco o de um trabalho autoral que eu em breve publicarei aqui, mas que simula digitalmente colagem e recortes. É um estilo que aos poucos eu estou desenvolvendo e pretendo ver até onde eu preciso ir para chegar no que eu vou considerar "trabalho matriz", para então usá-lo como base definitiva de técnica para os posteriores. 







Voltaremos após os comerciais.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

A Evolução do Homem

Essa semana o novo site do Estúdio Tris está no ar e acabei aproveitando para atualizar meu conteúdo por aí. Postei novas artes no Behance e de embalo fui convidado para experimentar o ProSite. Já que eles estão com trabalhos frescos lá, tava mais do que na hora de fazer as vezes daqui.

Esse trabalho que publico hoje é autoral, feito para uma extinta seção no site, mas que vale como um humor criativo e para o portfolio. Também está no Behance, mas aqui falo um pouco mais sobre ele e em português, claro.


A ideia para essa ilustração foi fazer uma paródia com a famigerada ilustração "Marcha do Progresso" de Rudolph Zallinger, que faz referência a teoria da evolução de Charles Darwin. A "piada" aí foi não só fazer o "homem de hoje" estressado e ao celular, carregando uma maleta, mas apontar essa disparidade do homem moderno usando uma arte mais caricata, menos formal. É algo como se o homem evoluísse para a caricatura, falando num grosso modo.


Para o desenho da Marcha, eu usei a referência de Zallinger, mas acabei redesenhando-a toda. Então, se você acha que isso é uma foto-montagem, pode esquecer. Deu um certo trabalho, mas achei bem melhor do que simplesmente pegar a imagem dele e editar figura por figura no photoshop. E também, não tinha por que me dar ao trabalho de "micreragem" se eu sei desenhar. :)


Ok, ok. Já fizeram milhares de paródias. Não é uma original, mas é a minha paródia. Eu precisava ter a minha vez, certo?
Mas enfim, o trabalho está concluído e também pode ser visto no Portfolio virtual, na sessão "Caricaturas/Retratos", mas numa outra versão.
Até o próximo post.